“A abordagem gestáltica em psicoterapia é fruto das inquietações de Frederick Perls (1893-1970). Foram poucos seus esforços de tematização e teorização da abordagem, trabalho realizado por seus seguidores. Em suas origens, a abordagem gestáltica inspirou-se em formulações da Psicologia e da Filosofia disponíveis até então, adotando alguns eixos referenciais tais como: Percepção gestáltica - “O todo é diferente da soma das partes”, a percepção gestáltica propõe que todo fenômeno psíquico seja visto como um todo, em suas relações e dinamismos. Por essa razão o terapeuta gestáltico não considera o comportamento de seu cliente, isoladamente. Procura explorar a situação em que se deu, sua importância e significado naquele momento e situação. Ser-em -relação - “O homem é um ser em relação”, seu organismo é um sistema em equilíbrio, ou em constante busca de equilíbrio e auto-regulação em sua relação com o meio. Manifestações corporais - O terapeuta é especialmente atento à forma como se expressa o cliente, não só em termos de verbalização, mas também em termos de linguagem gestual, corporal. motora. Energia agressiva - Perls mostra que a agressividade também desempenha um papel construtivo na maneira como a pessoa se relaciona com o mundo e consigo mesma.” (Guia Psi - Texto base de Alberto Pereira Lima)

Sugestões de leitura:

Perls, F. - Gestalt-terapia explicada. Summus, 1977.