“O iniciador da abordagem corporal em psicologia foi Wilhem Reich (1897-1957), que, de algum modo, influenciou todos os trabalhos posteriores nessa área. Para Reich, o ser humano nasce livre, aberto à vida e ao amor. Nele flui uma energia vital que é experiênciada como sentimento, emoção e se expressa por movimentos corporais. Ao estabelecer relações com o meio externo e com a frustração que este inevitavelmente provoca, cria defesas que se manifestam com tensão muscular. As tensões se acumulam em alguns anéis corporais, e em regiões do corpo como, por exemplo, os ombros e a pélvis, como se fossem cintas que circundam a pessoa dificultando sua movimentação. A forma como , em cada pessoa, se encontram estruturadas essas cintas, ou anéis corporais, vai definir a couraça muscular daquele indivíduo. Dito de outra forma, a cronicidade da tensão termina por constituir uma couraça muscular que prejudica o fluir da energia vital. O trabalho terpêutico consiste em desmachar, através de exercícios corporais apropriados, este anéis, permitindo o refluir da energia vital. As técnicas de relaxamento são usadas nas psicoterapias corporais e muitas vezes são associadas às terapias junguianas, gestálticas e psicodramáticas.” (Guia Psi - Texto base de Elizabete B. Russo e Maribel Rio Sion)

Sugestões de leituras:

Reich, W. A função do orgasmo. Brasiliense, 1976.

Sandor, P. e outros. Técnicas de relaxamento. Vetor, 1982.